Garagem Gastão por Messenger

Dores ao conduzir? A Garagem Gastão dá a solução!


Image01
De acordo com o Manual do Ensino da Condução do Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT), a adaptação do condutor ao veículo passa por três níveis: posição do condutor ao volante, utilização dos pedais e o manuseio do volante.

Posição do condutor ao volante

A posição ideal depende da especificidade do corpo de cada condutor. De forma geral, as pernas devem estar ligeiramente fletidas, de forma a que os pedais possam ser usados até ao final do seu curso sem que o condutor as tenha de esticar completamente.
Os braços devem também ficar fletidos, quando o condutor segura o volante pelo seu arco, na altura da sua zona intermédia junto aos comandos de luzes. No caso de colisão, a posição fletida das pernas e dos braços poderá ainda ajudar a reduzir os danos nas articulações.

Utilização dos pedais

A utilização correta dos pedais é também fundamental, especialmente quando se trata de um modelo com caixa manual, que implica maior esforço.
O pé esquerdo deve manter-se sempre apoiado no chão, à esquerda dos pedais ou no suporte específico. O pé esquerdo só deverá estar em contacto com o pedal da embraiagem caso seja necessário engrenar uma mudança ou parar o veículo.
Quanto ao pé direito, usado para travar e acelerar, o condutor deve tentar, sempre que possível, manter o calcanhar apoiado no chão, mais próximo do pedal do travão.

Manuseio do Volante

A forma aconselhada de manusear o volante é na posição “nove e um quarto” (como os ponteiros de um relógio), em qualquer circunstância.
Nas curvas, o condutor deve manter esta posição utilizando a técnica de «puxa-empurra» – à entrada da curva, deve subir a mão do lado para onde vai curvar até ao topo do volante e puxá-lo até à posição mediana (3h ou 9h). A mão oposta não deve sair do sítio, permitindo apenas que o volante “escorregue” até à posição desejada. No fim das curvas, efetua-se a manobra inversa.

De acordo com o IMT, esta é a posição que proporciona menor fadiga muscular e maior precisão e rapidez no controlo do carro, além de permitir ao condutor manter as mãos mais próximas da zona onde se encontram os comandos de sinalização no volante e dos comandos de navegação, comunicação e conforto na consola central.


Fontes: IMT; Razão Automóvel
01-03-2019